Últimos assuntos
» Futari Ecchi (2014) [MKV][C]
Dom Out 04, 2015 12:19 pm por Lacus

» [Doctor Who] Impossible
Seg Ago 31, 2015 3:05 pm por Lacus

» Akagami no Shirayuki-hime [MKV][C]
Seg Ago 24, 2015 8:25 pm por Lacus

» Kyoukai no Rinne [MKV][Adicionando 24/08/15]
Seg Ago 24, 2015 7:39 pm por Lacus

» Misutenaide Daisy [MKV][C]
Sex Ago 21, 2015 11:48 am por Lacus

» Show By Rock!! [MKV][C]
Dom Ago 16, 2015 5:47 pm por Lacus

» [OST] Battle Spirits Burning Soul [OP/ED]
Qui Jul 02, 2015 10:08 pm por Lacus

» [Frozen/Guardiões] Believe Me
Seg Jun 29, 2015 2:53 pm por Lacus

» Battle Spirits Burning Soul [MKV][Adicionando 19/08/15]
Qua Maio 06, 2015 5:44 pm por Lacus

Relogio
Parceiros
Highschool of the Dead Brasil
Contador de Visitas
acesso gratis

(mangás) especial 12 anos de mangás no brasil

Ir em baixo

(mangás) especial 12 anos de mangás no brasil

Mensagem  maickon em Dom Nov 18, 2012 1:53 pm

Olá, fala pessoal
sem nem ao menos terminar a matéria da biografia de naruto que pretendo concluir em breve eu decidi colocar aqui uma um pouquinho mais interessante e rapida na qual irei falar sobre os mangás ja lançados no brasil contando um pouquinho da historia do mercado brasileiro de mangás até o momento, os pontos positivos os negativos, as desilusões e enfin, tudo o que aconteceu até aqui e o que poderá acontecer nesses 12 anos de vida do mangá. Lembro- me de quando eu conseguia comprar a preço muito pequeno os mangás de dragon ball e cavaleiros do zodiaco pela editora conrad, e quão grande não foi a alegria de poder comprar simultaneamente a fase Z hein ??
Bons tempos aqueles, e agora como estão os tempos de mangás no brasil ? Lembrando que não conto com mangás lançados anteriormente como Akira e por ai vai, e sim mangás no sentido oriental de leitura como foi introduzido no Brasil
Então vamos láa para começar nossa conversa



E lá estavamos nós no distante ano de 2000 quando na Tv aberta eu assistia Pokemon na record e a Band fazia um sucesso com Dragon Ball Z. A editora Conrad que no mercado brasileiro começava a passos lentos com algumas revistas que tratavam do tema anime como a Herói e a Pokemon Club, decidiu publicar Dragon Ball. A editora foi atras dos direitos de lançar uma versão em quadrinhos baseada no animê de sucesso ( o que na verdade, todos sabemos é o contrario, o anime é baseado no mangá ) mas a visão japonesa do outro lado do mundo quis empurrar para a editora um material só deles em preto e branco e com leitura... ué invertida ?
Com o mangá em mãos a diretoria pensou muito no que fazer, espelhar o mangá estava descartado pois o coração ficaria do lado direito do peito entre muitas outras coisas que se tivesse sido feitas descaracterizariam as aventuras de goku e sua turma por aqui. Alem de Dragon Ball a editora conseguiu os direitos de outra obra de sucesso : Cavaleiros do Zodíaco. E a ousadia foi tão grande que a editora decidiu por lançar o mangá no formato original mas em vez de lançarem uma pasta de 200 paginas como é o original toukobon famoso japones, decidiram por fazer um meio-toukobon, ( ou toukohon) lançando metade dos volumes por um preço mais razoavel a R$3,90. E essa premissa deu super ultra certo mesmo muita gente achando que não duraria, e foi aí que a editora ditou regras no mercado de mangás, algo que serviu como uma saída do alto preço, assim como também adotaram o uso de onomatopéias, alias alguns destes pontos ficaram ruins demais. Mas falhas a parte, as regras do meio toukobon são seguidas até hoje.



Dragon Ball veio com muitas onomatopéias traduzidas para o francês
O mangá de Cavaleiros do Zodíaco trazia erros gravíssimos como o velho Jabu de Capricornio
Os mangás da editora tinham propaganda durante o Band Kids e a apresentadora Kira explicava como se lia um mangá
A conrad decidiu colocar a capa igual nos dois lados, pois seja qual fosse o lado que a pessoa colocasse na prateleira ia dar p ver do que se trata a revista (kkkk)


Bom... deixa-me ver, se não me engano e pesquisando um pouquinho no google a Tv aberta tinha o programa Bambuluá em 2001 com Sakura Card Captor, é a antiga Tv Globinho que só veio depois, foi nesse mesmo ano que a emissora Globo conseguiu Dragon Ball da Band, o triste fim de policarpo kkkk afinal eu não lembro de ver mta tv nessa epoca,mas em relação aos mangás a Conrad estava feliz da vida colhendo os louros e sucessos que foram seus mangás até então, mas a felicidade pode ter durado pouco, surgiu a hoje poderosa Jbc no mercado, aquela que tinha a revista Henshin nas bancas, anunciu de uma só vez 4 mangás e diferente da concorrente a editora decidiu lançar os mangás com formatos mais proximos do japones com papel jornal e tamanho quase igual por assim dizer, eram eles : Samurai X- Rurouni Kenshin, Sakura Card Captors, Guerreiras Mágicas de Rayearth e o desconhecido Video Girl Ai, exceto Guerreiras Magicas com um formatinho um pouco maior, todos saiam por R$ 2,90 cada.
Ja que atualmente não vemos esse tipo de atitude como lançar quatro mangas de uma vez, antigamente foi uma boa pedida ja que não tinham mangás no mercado, podemos dizer que a editora Jbc foi a primeira a trazer mangás shoujos no brasil principalmente do grupo Clamp.
Bom, estes foram os destaques da epoca, mas não vamos esquecer de alguns fiascos de outras editoras que também se interessaram por mangá como a Mythos que lançou o Superalmanaque Mangá um meio toukobon que vinha com três capitulos de series diferentes, entre elas Bakuretsu Hunter, a Escala que trouxe Ozanari Dungeun- Jovens guerreiros e hum....posso dizer que não deu certo né ? depois de quatro volumes simplesmente o manga pavoroso saiu de circulação.
Mas aí veio a minha alegria e lembro até hoje, até porque os unicos mangás que eu colecionava era dragon ball e cavaleiros, surge a iniciativa da conrad de lançar também o Dragon Ball Z saindo simultaneo com Dragon Ball, tanto é que a primeira edição vendeu mais de 100 mil cópias. Uma idéia interessante ja que sabemos que o "Z" foi colocado para distinguir as fases do goku criança e do goku adulto.




A JBC revoluciona ao fazer a padronização do uso das capas dos mangás. Como nossos mangás tinham metade do tamanho dos volumes originais convencionou que as capas de numeros impares trariam as capas japonesas originais e as pares outras ilustrações .
A editora mudou as capas por um papel que exaltasse as ilustrações e cores de fundo
Apesar de os mangás serem maiis baratos, a qualidade grafica dos primeiros principalmente Samurai X tinha uma impressão terrivel com tinta que saia que era uma beleza ( como diz o milton leite : que beleza!!!)
Jovens guerreiros, o mangá foi escolhido só porque teve um ova lançado obscuramente no Brasil em VHS
Censura: A conrad no volume 18 de dragon e isso eu tenho aqui inseriu o texto "Boing-Boing" sobre os mamilos da bulma em uma das cenas

Ano de 2002 Quem esquece, afinal o Brasil foi Pentacampeão, de lá pra cá porcaria nenhuma da nossa seleção e de importante, o que passava na tv em relação a animes?? Bom, surgia tv globinho e nas manhãs Dragon Ball. Mas o interessante foi no mercado de mangás, a Conrad colocou os bons escolhidos da vez foram One-Piece, Fushigi Yugi, Neon Genesis Evangelion e Dr. Slump outra obra do mestre Akira Toriyama, os mangás aumentaram um pouquinho no preço, questão de centavos, época em que reclamei por ter aumentado os preços dos meus Dragon Ball, mas fazer o que né. A Jbc por outro lado resolveu trazer Love Hina, um pouquinho mais caro a 3,50 mas com qualidade bem melhor que os seus anteriores.
E então veio durante a Animecon Daquele ano a surpresa, o mangá que viria a ser o mais longo já lançado no Brasil, anunciado pela Jbc, INUYASHA, com 112 volumes, por ter sido meio toukobon e quanta espera pra acabar, mas isso é pros proximos anos, voltanto, lançou também A princesa e o Cavaleiro de Ozamu Tezuka o mestre, um mangá que não foi muito bem como se esperava.
Foi então que surgiu a grandiosa Panini com o logo Planet Mangás atualmente, naquela época não tão grande ( no quesito mangás é claro ) mas conseguiu lançar o mangá Gundam Wing e a Abril lançou o pavoroso e esquecivel mangá Medabots, ah e eu tava esquecendo da Escala que lançou Gunnm=Batle Angel Alita o que não passou de uma edição, vai ver os direitos não eram bons né ?

Pensa que a Conrad estava atras, que nada ela anuncia Blade- A lâmina do Imortal, Berserk, e Koldeka.... ops mas peraí.. a panini ..deve lançar Berserk né...?? Pois é, ponto negativo pra conrad que anunciou sem ter certeza, Koldeka NUNCA chegou nas bancas. A novidade mesmo veio no fim do ano pelo outro lado da força, a JBC lança também YU-YU HAKUSHO cheio de linguagem coloquial como é visto no animê que teve exibição na Manche ( OH manchete, bons tempos aqueles, farei uma materia sobre )



Evangelion foi o primeiro mangá brasileiro a ter paginas coloridas
a tradução do mangá e animê de inuyasha foram feitos em sincronia de nomes e termos menos o nome da protagonista é claro, ja que no mangá se chama Kagome, e no Anime Agome, mas enfim foi basicamente isso, o que aconteceu é que a dublagem do anime desandou e cada um tomou suas proprias linhas, caminhos diferentes.
A conrad perdeu muitos mangas, alem de berserk e koldeka, perde também Pokemon, ninguem sabe, ninguem viu ....
A tradução brasileira adotou o nome Ruffy para o protagonista de One Piece, sendo que na maioria dos países ele é chamado de Luffy

Chegamos a 2003 uma epoca que eu brincava muito e só comprava poucos mangás, então como saberei dos mangás lançados ? bom é só dar uma pesquisadinha aqui e ali e pronto, alias eu sei bem dos mangás que estiveram nas bancas, vamos refrescar nossa memoria ? A Tv passava ou nao por bons momentos ? nem lembro mas foi talves nessa epoca que a globo começava a trazer alguns animes tipo medabots ? kkkkk enfin, vamos ao que interessa
A Conrad passava por bons momentos com Dragon Ball Z e o mangá chega ao volume final, para a minha felicidade ou tristeza ao saber que aquele mangá acabaria....quem diria né, todos nós brasileiros tendo o mangá completo de Dragon Ball Z em mãos, o que ja tinha acabado faz tempo não é, de la pra cá a Franquia rendeu tantas coisas, especiais, enciclopedia, e relançamentos, ops... isso é assunto pra mais tarde.... É só que o outro mangá de Akira Toriyama nunca chegaria ao fim, foi nesse mesmo ano que a Editora decidiu paralisar o mangá Dr. Slump que teve 14 volumes, dos 36 previstos lançados no Brasil, a editora alegou em entrevista que seria uma retirada estratégica das bancas ja que as vendas não pagavam nem a tia do café, eh foi aí o inicio da maldição dos mangás de humor no Brasil, prometeram que iram retornar isso durou... durou.... até.... bom.. hoje né .... Outro mangá da Conrad a chegar no fim, Cavaleiros do Zodiaco, uma pena que esse não colecionei até o fim. Chega a epoca de saudosismo, a editora finalizando os mangás que iniciaram no mercado.
No lado Jbc das coisas, tudo parecia mais tranquilo, as vendas de inuyasha fizeram com que o mangá se tornasse quinzenal ja que no japão estava tudo bem a frente, bom nem tudo foi tranquilo já que os pontos negativos entraram, ocorreu o misterioso sumiço do detetive espiritual yu yu hakusho das bancas, tal sumiço coincidiu com a saga final de samurai x, pra que competir publico não é. O ano estava de mal a pior mas a Jbc conseguiu alegrar um pouco com a surpresa de trazer o mangá "X" , O primeiro mangá toukoboun no Brasil que veio custando incriveis R$ 9,80, praticamente o dobro dos mangás que eram lançados, e daí surge o então desconhecido mas que cativou muitos fãs, sim otakus com o rosto cheio de espinhas, o lançamento de Love Junkies, pena eu não ter, bem que eu queria esse mangá. Bom, lembram de Gunn no Brasil, a Jbc aproveitou o embalo para licenciar e lançar oficialmente o mangá por aqui.
De novo aparece Panini tentando caminhar no mercado de mangás e lança quase no fim do ano os mangás Peach Girl e Éden, em formatos de bolso no preço baixo, qualidade duvidosa, e com onomatopéias traduzidas, o ruim foi terem espelhado o mangá, ou seja, leitura ocidental.



A ultima edição de Samurai X veio custando 4,90 contra 2,90 da primeira edição
A última edição de Love Hina, trouxe, além de aumento absurdo do preço, uma cartelinha com quatro adesivos, veio uma série de imagens coloridas aleatoriamente selecionadas.
2003 foi o ano que a Conrad muda o papel dos mangás como One Piece e Fushigi Yugi, alegando que poderia ser mais parecido com o japones eu ja alego que era pra ficar mais barato mesmo
E o troféu do ano dos atencioso vai para a Conrad que conseguiu a proeza de repetir uma ilustração de capa de Fushigi Yugi , a arte da edição numero 8 é a mesma da edição 21 e depois que perceberam o erro colocaram uma tarja avisando que a edição era nova, tsc tsc nada a ver mesmo viu
E nesse ano a Jbc anuncia em video para ambos os eventos de animes daquele ano AnimeFriends e Animecon, o lançamento de Shaman King que ja podiam ser comprado nos estandes da editora


Fico por aqui, espero que continuem lendo as proximas partes do especial, na verdade queria terminar hoje mas tem coisa p pesquisar e escrever ainda referente aos proximos anos, os que mais vou gostar eh dos recentes anos não eh mesmo, com os relançamento de series que não pude comprar e por aí vai
o que estão achando da matéria, não deixem de comentar, semana que vem tem mais, alias tem muito mangá p vim por aí
esqueci de algum até agora, acho que não
então até a proxima
avatar
maickon
Administradores
Administradores

Mensagens : 203
Pontos : 2879
Reputação : 5
Data de inscrição : 15/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

continuação parte 2 especial mangás lançados no Brasil

Mensagem  maickon em Ter Nov 20, 2012 8:48 pm

Olá novamente pessoal, eu disse que esperaria uma semana mas como hoje é dia 20/11 feriadão da consciência negra, nada melhor do que tocarmos a nossa consciência dos mangás lançados no Brasil ok ok nada a ver uma coisa com a outra e as minhas piadinhas estão sem graça, então vamos logo ao que interessa.

Bom, o que falar do distante ano de 2004 ? nem eu lembro ao certo o que acontecia, talves na Tv aberta eu só acompanhava dragon ball as constantes reprises, o band kids passava tenchi muyo e outros desenhos, era um periodo bom e eu não tinha Tv a cabo mas pra quem tinha a cartoon network trazia o até então indédito dragon ball gt e passava outros bons animes no falecido e tão querido bloco toonami que ainda era durante as tardes, com uma programação recheada de animes como samurai x, inuyasha, dragon ball e muitos outros que passaram por este programa de animações, até a tv aberta tava na onda, era o momento de trazerem bons animes e coloca-los de forma porca na televisão mas como por enquanto não estamos aqui para falarmos disso, vamos aos mangás, lembram que eu disse a respeito do anuncio de Blade- A Lâmina do Imortal pela Conrad ? Pois é, era só um anuncio porque mangá que é bom mesmo, nada. Nós tivemos é que esperar pelo lançamento que só veio a ocorrer mesmo com muitos, mas muitos anos de atraso, só chegando no finado ano de 2004.
E a Conrad surpreende ao lançar de forma impecavel a fase G estrelada por Aiolia dos Cavaleiros do Zodíaco, que saia com um preço bem convidativo de menos de 15,00 reais e ainda por cima com paginas coloridas, e foi aproveitando o sucesso que Cavaleiros fez e faz no Brasil né, que a editora decidiu relançar o material clássico, os mangás foram revisados e trazidos para a banca, na minha opinião a idéia não foi tão boa, tudo bem que muitos fãs poderiam comprar mas a série tinha acabado no ano anterior pela propria, pra que relançar ? sem falar que mais pra frente.... opa opa.. spoiler dos proximos anos (kkkk) volta pro ano de 2004 que eu estou ansioso para falar dos próximos, mas nesse relançamento planejado pela editora eu mesmo não confiei e nem comprei nadica de nada, teve que comprou, mas como o assunto aqui não é de quem comprou mangás ou deixou de comprar irei falar do lado Jbc das coisas, NÃO sem antes mencionar que a editora Conrad lançou também a enciclopédia dos Cavaleiros do Zodiaco e em breve lançaria a do Dragon Ball, e não foi só a Conrad.
A Jbc aproveitou toda essa onda de enciclopédias e lançou a do Samurai X kENSHIN kAIDEN e tem mais, ainda conseguiu o material inédito só lançado no Japão A Sakabatou de Yahiko com um papel bem melhor e qualidade ótima dando por encerrado tudo que tinham para lançar de Samurai X por aqui.
A editora aproveitou para arriscar e lançou um mangá semanal nas bancas, o Comboy Bepop de apenas seis volumes, lançado durante seis semanas consecutivas apenas, houve até um box para colecionador. Uma expêriencia que ao meu ver não deve ter dado certo porque nunca mais vimos algo do tipo sair nas bancas assim, nossos bolsos agradecem.
A Panini, por outro lado lançou Shin-Chan no Brasil, e foi de uma maneira bem estranha, ao invés de seguir o padrão dos encardenados, a editora optou por lançar em um formato semelhante ao de livrinhos de piadas, até mesmo na capa tinha reprodução de um quadrinho com diálogo engraçado, mesmo que o mangá seja engraçado e que nós fãs queremos ainda esse mangá por aqui com uma boa qualidade, a publicação de Shin-chan só serviu para provar que no quesito mangá de humor o Brasil não conseguia ir bem.



Blade- A lâmina do Imortal foi lançado em edição especial com capa toda brilhante apenas para os primeiros que chegassem ao estande da Conrad no Anime Dreams. Mas nem precisava correr a editora tinha muitos mangas para vender lá
Outro Mangá que chegou ao fim em 2004 Yu Yu Hakusho coinscidiu com a estréia do animê no Cartoon Network. A Band anunciou mas nunca chegou a exibir.
A Jbc Lançou o mangá Bastard em 2004


Vamos para o ano de 2005, esse ano chegou com tudo, boa epoca para fãs de anime e mangá, os lançamentos aumentaram nas bancas, as disputas entre as editoras era acirrada, não que hoje não seja, e foi isso que fez a Conrad cair aos poucos ja que os poucos mangás no mercado ja não davam conta, a editora então tentou usar as obras de Akira Toriyama de tudo quanto é forma possível e tivemos o lançamento de especiais, inclusive das edição definitivas de Dragon Ball, tivemos os nossos Kazenban como é chamado, um ano muito bom para min também que caminhava vendo animes e estudando (kkk) de outras coisas mais que possa ter acontecido eu não me lembro bem, exceto que via Digimon na globo, Yu-gi-oh e muitas outras coisas, sem contar as constantes reprises de Dragon Ball né ?
E falando em Dragon Ball, a Conrad lançou a enciclopédia, que eu disse anteriormente chamada A Lenda De Son Goku, contendo entrevistas com Akira Toriyama e muitas outras curiosidades, e logo depois surpreendeu ao lançar a Edição Definitiva, o famoso Kazenban das terras nipônicas, cada edição trazia novas capas e uma compilação de aproximadamente uns 3 volumes e ainda com paginas coloridas as que sairam originalmente na revista Shonen Jump e a tradução nçao tinha tantos deslizes, só o preço que ficou um pouco salgado mas valeria a compra não é mesmo ? e olha, não houve cortes.
Ainda falando em Shonen Jump e na Conrad, a mesma tratou de lançar em um evento no meio do ano o mangá Slam Dunk que alias foi um dos poucos que a editora conseguiu completar, um mangá campeão de vendas nas terras japonesas e aproveitando a estreia do animê Megaman, lança o mangá Megaman Batle Network ja esse não foi completo porque como se podia imaginar, vendas baixas e cancelamento em breve, desapercebido no Brasil. E nesse mesmo ano mais coisas da Conrad, foi aí que a editora lançou o mestre Ozamu Tezuka da maneira que ele merece longe das bancas, diferente do que fez a JBC com A Princesa e o Cavaleiro, visando as livrarias trouxe Buda e o resultado foi acima do esperando vendendo horrores e mostrando que nós brasileiros queremos sim o mestre mas longe das bancas e aproveitando a onda que trouxe com a edição definitiva de Dragon Ball trouxe também, a edição definitiva se é assim que podemos chamar de Vagabond caprichando.
No lado Jbc da força, a editora trouxe bons títulos como Fruits Basket o primeiro Shoujo não clamp da editora e Onegai Teacher lançado com um Box igual o de Comboy Bepop mais ou menos, a editora apostou também em outro mangá erotico de 14 volumes, desta vez Mouse.
Já a Panini surpreende a todos ao anunciar dois mangás de peso e com leitura oriental, são eles: Angel Sanctuary e Berserk. Mas ué, peraí esse mangá foi anunciado pela Conrad lembram ? Pois é a editora passou a Conrad para traz e isso foi sorte de quem gosta de Berserk como eu, porque como sabemos o mangá concerteza poderia ser cancelado. É nesse ano como em ja houve com outras séries houve os cancelamentos de Peach Girl e Éden, mangás que não vendiam bem, também podia, ja que logo no começo a Panini não sabia dar um tratamento bom com os mangas e espelhou ambos, era de se esperar que dois mangás não iriam vender em meio a tantos outros já bons no mercado e com sentido de leitura já oriental não é ? Mas muita coisa ainda vai rolar



A conrad no ano alardeou que trouxe papel importado da Suécia para poder lançar Dragon Ball definitivo e eu alego que ta a mesma coisa
A mesma aproveitou e ainda lançou edição definitiva de Evangelion, mas os resultados não foram bons e só rendeu um volume, ainda bem.
E a Jbc hein ? Anunciou ainda o mangá de Masami Kurumada chamado B´TX , mangá que muitos diriam só ser cópia pura dos Cavaleiros d Zodíaco, mas saiu fazer o que


Em 2006 estavamos muito próximos do "Boom" de grandes mangás nas bancas, era o momento certo para os mangás no Brasil, as editoras estavam disputando títulos a tapas, na internet eu conheci Naruto só nessa época bem como Bleach e tantos outros como Claymore. Nossa!!!! mas que época boa foi para min nesse ano, não sei vocês mas eu só fui conhecer certos animes maravilhosos só nessa época tudo bem que eu ja colecionava Dragon Ball e Cavaleiros e ja conhecia Pokemon, Digimon, Beyblade, Yu-gi-oh, quem não se lembra de como foi boa a época, a Cartoon exibindo ótimos animes. A rede Bobo, ops, Globo arrebentando na Tv Globinho, tudo bem concordo que fizeram muita merda inclusive com Shaman King, Inuyasha, Musculo Total, mas enfim são "desenhos" e devem ser vistos como desenhos, ok ok frase ironica. Mas vamos ao que interessa, mangás.
Voltamos a falar primeiro da editora Conrad, ja que a mesma faleceu algum tempo depois, mas nesse ano e que ano, a editora começou a apostar nas livrarias vendo que as edições de Buda estavam dando certo ela trouxe agora Adolf Hitler. E não para por aí, continuava as edições de Dragon Ball, e trouxe quentinho pra gente Batle Royale, também em livrarias, já nas bancas trouxe Monster, bom, muito bom...... E o que dizer então de Nausicaã, há quem diga que foi um dos mais caprichosos mangás lançados no Brasil e eu to com essas pessoas que dizem isso, que mangá lindo de se ter do mestre Hayao Miyasaki. E não sei se comentei que a editora logo traria tudo a respeito de Akira Toriyama ? Pois é, então... ela trouxe mesmo, Nekomajin, que parodia Dragon Ball e muitos outros titulos para as livrarias. E a edição definitiva anunciada de Vagabond ? Pois é de novo, isso causou muita polêmica, pois a editora decidiu cancelar os ja 44 volumes publicados de Vagabond só para se dedicar a edição definitiva de Vagabond, pô Conrad que mancada e quem ja tinha comprado os outros volumes ? Bom, não foi meu caso mas se tivesse acontecido comigo, pelo amor viu.
No outro lado do ringue temos a JBC com muitos lançamentos interessantes. O ano começa com Negima em nossas bancas e logo vem a dobradinha do grupo Clamp, se vocês lembram bem, a editora apostou mesmo no grupo com Sakura, e por aí vai, X/1999 e os agora Tsubasa e xxxHolic lançados intercalados bimestralmente e a editora traz ainda há o lançamento de Hack//Legend of Twilght e El Hazard. E um dos grandes lançamentos do ano e esse eu tenho completo foi Yu-gi-Oh, só que as negociações para esse mangá foram tão enroladas que só veio depois que o animê ja tinha estourado no Brasil que coisa triste, mesmo assim eu me alegrei ( hehe) só estranhei o mangá começar muito diferente da série mas isso é o óbvio.
A Panini começou a trazer mais títulos exelentes no mercado como o Full Metal Panic, Record of Lodoss War, Merupuri e o grandioso Shoujo Karekano traduzido aqui como as Razões dele e os Motivos dela, alem dos mangás Crying Freeman, Samurai Champloo e o tigre e o Dragão.




Bom, ja está tarde e é com esse belissimo show de imagens que vou encerrando mais uma parte, e pretendo fazer mais duas partes, eu disse que seria rapido mas me enrolei viu, é tanta coisa para falar, eu posso ainda ter me esquecido de muitos titulos mas ainda irei lista-los aqui, o mais bacana é comentar sobre algumas coisas, irei comentar sobre grandiosas falahas só como bonus, como ja venho comentado, como eu disse nada melhor que uma pesquisadinha aqui e ali pela internet, mas o que eu gostaria de dizer é que eu acho bacana ter esta informação reunida por isso decidi fazer mesmo sabendo que muitos nem irão parar para ler e que o texto a principio não estará tão bom e convidativo mas irei melhorando aos poucos, por isso gostaria de comentarios, mesmo assim irei concluir a matéria, não vou parar como fiz com Naruto, se puderem ver a outra matéria também ira ajudar kkkkk
Bom a terceira parte pegará os anos 2007,2008 e 2009, maravilhosos anos ao meu ver e por último os mais recentes 2010,2011 e 2012 com um pouco do que pode rolar em 2013 é pessoal, tem muita coisa a vir, e pra min os melhores anos estão sendo agora em que já temos mais de uma década de mangás e ainda nosso mercado tá mais maduro, começou com os meio-tanko e agora os tanko completos, tudo bem que ta tudo mais caro, mas vida de colecionador é assim
comprem bastante!!!! e até mais


avatar
maickon
Administradores
Administradores

Mensagens : 203
Pontos : 2879
Reputação : 5
Data de inscrição : 15/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum